Decorar360

Posted on

Sob o sol da Sicília

coluna | por Marcelo Gama | @vienna.gamanacasa

CRITA CERAMICHE, DESIGN CONTEMPORÂNEO E TRADIÇÃO DA FAIANÇA ITALIANA

Aqui em Viena, em plena Europa central, a cada ano que passa sente-se mais e mais calor: enquanto a primavera há muito deixou de ser amena, o próprio verão se tornou mais intenso, o outono sempre atrasa e o White Christmas,
aquele Natal todinho coberto de neve, ficou pra trás nos sonhos de Irving Berlin, autor da famosa canção natalina.

O mês de dezembro, que sem a neve não passa de um cinza pra lá de desbotado, perdeu seu antigo charme, acentuando a saudade do sol e o desejo de viver eternamente um verão caloroso e iluminado. Se alguma referência
aos trópicos pode parecer distante demais para aquecer esse inverno vienense… o Mediterrâneo está logo ali! A Sicília, sua maior ilha, é famosa não só por algumas das praias mais belas da Europa, pelas frequentes erupções do vulcão Etna e por seu limão perfumado e amarelinho, mas também pelo solo riquíssimo em argila, matéria prima de uma tradição ceramista milenar, reverenciada mundialmente. Multicolorida e brilhante pelo esmalte da faiança – ou majólica –, a cerâmica siciliana é produzida principalmente na pequena cidade de Caltagirone.

Foi lá que também nasceu Crita, a mais elegante interpretação dessa verdadeira paixão local, trazida recentemente para Viena por seu trio de jovens empreendedores. No dialeto siciliano, a palavra crita quer dizer simplesmente argila, e é exatamente essa pureza de estilo que o design escultural de Crita representa.

Suas peças únicas e inteiramente hand-made dão ênfase à forma, à cor e à essência de objetos originalmente luxuriantes e muito mais ornamentados. Segundo seus criadores, é como se o espírito barroco siciliano e a inquieta alma sulina quisessem se fundir com a linearidade e simplicidade do norte num grande abraço coletivo da Europa, sua
história e seus povos.

Produção: @davide.filia @matthia.s e @liviogiudici

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.
*
*